Categories
notas

“Eles iam virar meu carro”

Eles iam virar meu carro

Mais uma vez a estupidez humana se supera…

“Eles iam virar meu carro”???

Estado do carro após atropelar ciclistas:

22171970 media httpi1r7comdata uldsl
Foto: Cristiano Estrela/ Hoje em Dia

Mais informações http://massacriticapoa.wordpress.com/

Via @jujubinhas, @pedaline, @luddista, @wcruz, @rfalzoni

Notícias:


Filho do motorista:

— Não foram eles (os ciclistas) que começaram (a discutir), meu pai foi um pouquinho antes. Só que aí começaram a bater a fu no carro. Aí, depois que se entenderam, três caras ficaram na frente do carro trancando só ele, só ele.

Ex-mulher do motorista:

— Tudo começou com ciclistas que até aparecem nas imagens. Eles quebraram os vidros, bateram no carro. Ele buzinou e saiu, só porque tinha uma criança, meu filho de 15 anos, junto. Não botou por cima, senão tinha matado todo mundo. Ele fugiu das agressões — afirmou ela.

Aham. Começaram a depredar o carro, quebraram os vidros. Aí depois se entenderam (?). Logo depois que se entenderam, ele não acreditou que tinham 3 caras na frente dele, SÓ DELE. Após se entender, ele buzinou e saiu, coisa mais lógica a se fazer. Pessoas de costas não podem se defender. MAS VEJA ele NÃO BOTOU POR CIMA (?!) ele optou por NÃO BOTAR POR CIMA, ele optou por NÃO MATAR TODO MUNDO, ele se DEFENDEU acelerando no meio de uma massa de ciclistas com crianças e idosos.

Via Zero Hora. Veja comentários de quem estava lá.

Segundo o advogado, ele não teria se apresentado ainda devido ao seu estado emocional:
— Eu estava fora e fui até a Capital para conversar com ele, que ainda está abalado com o que aconteceu. Ele vai colaborar com a investigação.

Estado emocional? O estado COVARDE?


Em tempo, 2 bons textos contextualizando o ocorrido:

Não foi acidente
por Thiago Benicchio

O monstrorista de Porto Alegre
por Renata Falzoni


MP pede prisão de bancário #naofoiacidente

[…] A solicitação partiu dos promotores Eugênio Paes Amorim e Lúcia Helena Calegare. Ao contrário da Polícia Civil, os dois já estão convictos de que, no caso, houve uma múltipla tentativa de homicídio doloso.

Amorim também afirmou ter identificado um histórico de violências doméstica e no trânsito protagonizado pelo motorista. “É um réu com histórico de violência e impulsivade, e o Ministério Público não podia esperar mais”, disse. Além disso, o promotor destacou que foi determinante para o pedido de prisão, o fato de autoridades terem dado declarações, insinuando que os ciclistas estariam equivocados.

“Andei testemunhando declarações críticas à postura dos ciclistas, o que surpreendeu o MP, pois pela segunda vez, no intervalo de um ano, temos que ouvir manifestações típicas de uma defesa, vindas de uma autoridade pública”, afirmou Amorim […]

via radioguaiba.com.br

Finalmente um pouco de sensatez num mar de insanidade!


Atualização:

Reply by Email

or

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *